Saiba o que é o “pai interno” que todos temos

Entenda porquê a psicologia recomenda que “matemos” nosso pai interno

Entenda porquê a psicologia recomenda que “matemos” nosso pai interno

Não se assuste! A psicologia defende a ação, que é exclusivamente figurada, em prol do desenvolvimento pessoal da criança e adolescente

As passagens entre infância, adolescência e vida adulta sempre são momentos determinantes na vida de cada pessoa, sem distinção. Uns lidam melhor com tais mudanças, de forma natural, outros nem tanto e isso pode ocasionar vários outros problemas no futuro. Justamente por isso, é fundamental que homens e mulheres na adolescência “matem” o pai interno que possuem, psicologicamente falando. Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura do post de hoje, aqui no blog da Arita Treinamentos!

Pai interno: fases da mudança

  • O que é? Dentro da psicologia, o “pai interno” é aquela voz / símbolo que impede o adolescente de fazer algo e evoluir, dentro do que o próprio considera evolução e amadurecimento.
  • Por que é preciso “matar” o pai interno? Porque somente com este “assassinato psicológico” é possível estabelecer os parâmetros para construção da própria identidade, dos próprios cominhos. Ao viver sempre como um espelho da figura paterna, não haverá espaço para criação da própria vontade, do individual.
  • Quando fazer? Não há uma idade definida precisamente, mas é algo que sempre acontece na adolescência, quando passamos a entender melhor o mundo, compreendemos as possibilidades, desenvolvemos preferências e assim por dia.
  • Sinais da hora certa! Sempre que o filho / filha começa a desafiar os pais em assuntos rotineiros, como escolha da roupa para sair, horário para voltar para casa, se deve ou não ir a um determinado local e assim por diante. Ir no sentido oposto das ordens, o que é até visto como rebeldia, pode indicar que está na hora de seguir uma própria trajetória e não apenas replicar o que os pais querem.
  • Limitações devem existir! É importante que o filho / filha compreenda que os pais só querem o melhor para seus filhos, e não que fiquem tristes com ordens e restrições. Porém, os pais não podem simplesmente “abandonar” os filhos. A orientação deve seguir por toda a vida, afinal durante a adolescência, ninguém tem a experiência necessária para acertar 100% das vezes.
  • Respeito! O mesmo vale para os filhos. É normal e saudável que haja o desenvolvimento de uma identidade própria, porém isso não quer dizer que tenham carta branca para desafiar toda e qualquer ordem somente pelo fato da oposição. O respeito não pode jamais ser deixado de lado. É uma constante que deve existir por toda a vida.
  • Para os pais! É também uma boa ideia deixar os filhos optarem por determinados caminhos ao longo da adolescência e começo da fase adulta. Os pais precisam compreender que é preciso “cortar o cordão umbilical” em um determinado momento. Isso acontece porque o “pai interno” que impede o crescimento do filho pode ser, em alguns casos, alimentado pelas próprias figuras paternas, através da proteção exagerada e constante.

Inteligência emocional

É uma metodologia muito indicada em situações assim, pois busca entender os gatilhos emocionais que impedem a “morte do pai interno”. Para pais e filhos, através de treinamentos de inteligência emocional, é possível buscar o equilíbrio entre a manutenção dos laços familiares que são essenciais para todas as pessoas e a busca por uma identidade própria, para o desenvolvimento pessoal e profissional.

A Arita Treinamentos é uma empresa especializada no assunto e está ao seu lado: fale hoje mesmo com um dos nossos especialistas!

ARTIGOS RELACIONADOS